Last updated: 28 May, 2022

Terra e Natureza

.Auroville, assim como a Índia, tem uma abundância de contrastes naturais. Detalhes do trabalho na terra e do reflorestamento já realizados aqui abundam na literatura de Auroville. No entanto, qualquer visitante nesta terra pode ver por si mesmo(a) os frutos desses trabalhos, e alguém ao visitar pela primeira vez pode ser atingido por algumas características físicas que se destacam.

 

A sempre presente terra de laterita vermelha...

 

Auroville está localizada em um planalto a cerca de 50  metros acima do nível do mar. Ignorando a suave subida desde o mar até o Matrimandir, e uma série de características de erosão, a terra é essencialmente plana no sentido de que não apresenta colinas ou escarpas. A água da chuva corre em córregos através das falhas do terreno, de outra forma imperceptíveis em níveis sutis. Ao longo do tempo, esses córregos cortam sulcos profundos dentro da terra em suas jornadas até a Baía de Bengala. Carregando solo da superfície embora, eles deixam muitos desfiladeiros no interior de Auroville. Multicolorida em branco, vermelho e marrom, comprimida de terra, seixos e a sempre presente terra de laterita vermelha, lar de muitos pássaros e de pequenos animais, répteis e insetos, estas áreas altamente erodias estão sendo lentamente recuperadas pelas florestas; muitas árvores podem agora ser encontradas crescendo nos desfiladeiros das áreas de Forecomers e Utility.

 

Bosques de Auroville

 

A partir de um insistente e repetitivo grito do pássaro da ‘febre cerebral’ (o cuco gavião comum, Hierococcyx varius) até o chilrear mais ameno de variadas pequenas aves canoras, as florestas que atravessam Auroville ressoam com uma clara melodia. Moitas ocasionais de um verde maduro e bambus amarelos sobem em direção ao céu e balançam na brisa do oceano.

 

Os caules de bambu com suas folhas finas inspiraram muitos artistas de maestria; eles inspiram elegância e graça na forma.

 

A árvore ‘de trabalho’ (o nome dado pela Mãe para a Acacia auriculiformis), nativa da Austrália, mas introduzida em Auroville nos primeiros anos, em feito uma audaciosa tentativa de dominar o habitat local. Ela tem sido amplamente usada na carpintaria e na construção. Eu me sento para escrever em uma mesa com a madeira dessa árvore, cuja textura adornada brilha sob verniz em tons dourados e de mogno.

 

Gigantescas árvores de banyan (as figueiras-de-bengala), encontradas em climas tropicais, formas vastas, câmaras arqueadas; raízes aéreas descem dos ramos superiores em busca da terra. Grossos, galhos torcidos sustentam folhas verdes resistentes. Pontilhando suas copas avermelhadas, sementes vermelhas como cerejas crescem e atraem bandos de corvos, papagaios e mainás durante o dia, seguidos por enormes morcegos do tipo raposas-voadoras frugívoras à noite.

 

Cercas de ramos de espinhos e um cactus local semelhante a uma aloe vera selvagem trabalham para afastar cabras invasoras, vacas e coletores de lenha das aldeias próximas.

 

Aldeias prósperas

 

Kottakarai, Edayanchavadi e Kuilapalayam são as principais aldeias que prosperam dentro do perímetro de Auroville. Kuilapalayam, situada na estrada principal em direção à praia e Pondy, tem se tornado bastante rica por meio do comércio diário com os aurovilianos. Ela se vangloria de uma fileira de lojas prósperas margeando a estrada, e muitos pequenos templos recentemente construídos ou reformados, colorida com os ícones vivamente pintados de Kali, Ganesha e Durga. Com a elevação das restrições ao comércio exterior, mercadorias ocidentais são encontradas em crescente abundância na Índia, incluindo Kuilapalayam. Embora haja rumores de que motoristas de táxi de Chennai falem de Kuilapalayam do mesmo modo que falamos de ‘Timbuktoo’, ela não é verdadeiramente um posto tão avançado de civilização. Multiferramentas Leatherman, CDs virgens, cigarros Marlboro e telefones celulares podem ser obtidos não longe de um restaurante idli/vadai local e vendedores de frutas estão exibindo pilhas coloridas de cocos, abacaxis, mamões, bananas e vegetais variados.

 

Estradas e tráfego

 

As estradas locais são tanto remodeladas ou deterioradas, dependendo de como você as vê. A mudança parece inevitável. Enquanto costumavam consistir de faixas de terra empoeiradas, hoje uma proeminente estrada enegrecida corre através da seção principal de Auroville. Flanqueada por cajueiros, ciclistas nessa estrada estão sujeitos a riscos devido ao crescente tráfego motorizado, especialmente a variedade equipada com quatro rodas. Embora as estradas da parcela urbanizada da Índia sejam incomparavelmente piores em termos de perigo e densidade populacional, em Auroville com um número crescente de caminhões, ônibus, táxis e vans, bem como de carros privados, um tráfego menor é suportado. Buzinas estridentes, fumaça de escapamentos e poeira se misturando em mini tempestades, frequentemente corre-se por elas, trabalhadores locais encaram da traseira dos caminhões, a trilha sonora de filmes pulsando do interior dos carros. Os motociclistas onipresentes, habitantes de Auroville, usando óculos de sol e a maioria bem vestidos, impacientemente no limite em torno desses veículos maiores, desaparecem, deixando apenas o grito ecoante que soa do motor, e talvez a memória de um reconhecido aceno ou sorriso. Pode-se também notar carroças de boi e tratores nesses estradas, algumas arrastando cargas nocivas.

 

Compondo a ameaça à saúde representada pela poeira e pelos escapamentos, o hábito de anualmente pulverizar pesticidas de cajueiros pelos aldeões locais deixa muitos aurovilianos e aldeões tâmeis doentes com tosse, nariz escorrendo, garganta dolorida ou olhos ardendo.

 

Outras estradas conservam as suas características rústicas, faixas de terra tranquilas, passando por áreas florestais sombreadas repletas de cristalinos cantos de pássaros.

 

Vida na praia

 

Auroville situa-se na ‘Costa de Coromandel’. Aqui a Baía de Bengala recebe nadadores habituais, ávidos surfistas e semanalmente banhistas. Coqueiros estão separados em Repos, uma comunidade litorânea, desde a beira da água até uma grande extensão de areia, quente demais para caminhar sob o sol do meio-dia. Os pontos de acesso à praia de Auroville se situam entre as aldeias de pesca locais. Pescadores se levantam bem antes do alvorecer, e podem ser vistos em pé na costa em suas canoas feitas de palmeiras. À distância contra o sol nascente, eles parecem caminhar sobre as águas. O amanhecer à beira-mar também testemunha as abluções matinais dessas comunidades pesqueiras, as quais convenientemente são lavadas dentro do mar.

 

Lagos e kolams

 

alguns lagos no entorno de Auroville, Kaliveli Tank e o lago em Lake Estate são os principais. Formações de água fresca no interior de Auroville são encontradas em kolams e na pequena represa em Aurodam. Crateras maiores, kolams preenchidos durante as monções, servem como cavidades para animais beberem água, como locais de banho e de lavagem para aldeões, e como contenções para armazenar água até que ela possa escoar de volta para o aquífero.

Os kolams apresentam faces divergentes: de um kolam do Cinturão Verde se erguem rígidos troncos negros sem ramos de palmeiras-de-palmira, enquanto, durante o período em que o nível da água está submerso, o reservatório de Kuilapalayan se veste de lótus requintados que crescem em suas profundidades lamacentas.


(Portuguese translation by Pablo Antunes)