Last updated: 25 May, 2022

Sri Aurobindo: sua visão fez Auroville possível

Erudito brilhante, revolucionário, visionário espiritual –
A visão de mundo de Sri Aurobindo dá a cada indivíduo um lugar significativo em um desdobramento cósmico progressivo e lança o nosso entendimento do esforço humano em uma perspectiva nova e com um propósito.


Educação ocidentalizada

Aravind Ghose, nascido em Calcutá em 15 de agosto de 1872, viveu 78 anos. Ele passou dessa vida em Pondicherry (ou Puducherry, conforme grafia em português) em 5 de dezembro de 1950.
Completamente educado na Inglaterra juntamente com seus dois irmãos, a ele foi dada uma educação inteiramente ocidentalizada por seu pai anglófilo. Após a educação infantil em um convento em Darjeeling, eles foram levados à Inglaterra para viverem com a família de um clérigo em Manchester. De lá eles ingressaram na escola pública de St. Paul no oeste de Londres, e depois foram para a Universidade de Cambridge. Lá Sri Aurobindo foi um erudito brilhante, alcançando marcas recordes no exame de Classical Tripos. Porém, ele já tinha sido tocado por um desejo pela independência da Índia, e não desejava se tornar um oficial da administração colonial – a posição para a qual o seu pai e a sua educação haviam-no marcado. Ele conseguiu se desqualificar ao não realizar o teste de pilotagem obrigatório, e em vez disso retornou à Índia em 1893 no serviço do estado principesco indiano de Baroda, onde ele permaneceu até 1906.


Líder nacionalista

Naquele mesmo ano, ele retornou à sua terra natal, Calcutá, como o primeiro Diretor da nova Bengal National College. Ele renunciou ao cargo em razão do seu crescente envolvimento ativo no Movimento Nacionalista. Sri Aurobindo foi o primeiro dos líderes Nacionalistas a insistir em uma completa independência da Índia como o objetivo do movimento, e por muitos anos ele emprestou todas as suas consideráveis habilidades e energias a essa luta. Isso o levou a ser preso com uma acusação de traição e a ser mantido em confinamento solitário por quase um ano como um prisioneiro ‘aguardando julgamento’ na cadeia de Alipore. Durante esse tempo, ele teve um variedade de experiências espirituais fundamentais, que o convenceram da verdade de “Sanatana Dharma” – o antigo conhecimento e prática espiritual da Índia.”


Pondicherry

Depois que ele foi absolvido e liberado, essa consciência espiritual o levou a se refugiar da contínua perseguição das autoridades britânicas em Pondicherry, então parte da Índia Francesa, onde ele se dedicou intensivamente à exploração das novas possibilidades que se abriram a ele. Apoiado por sua colaboradora espiritual, A Mãe, e usando as suas recém descobertas capacidades espirituais, ele continuou a trabalhar incansavelmente para a elevação da Índia e do mundo. Quando a Índia conquistou a sua independência em 15/08/1947, ele respondeu ao pedido para uma mensagem aos seus compatriotas ao falar de cinco sonhos pelos quais ele tinha trabalhado, e os quais ele agora via a caminho da realização.


Cinco Sonhos

Esses cinco Sonhos eram:
1. “… um movimento revolucionário que criaria uma Índia livre e unida.”
2. “… o ressurgimento e a libertação dos povos da Ásia e o retorno dela ao seu grande papel no progresso da civilização humana.”
3. “… uma união mundial a formar a base externa de uma vida mais justa, mais brilhante e mais nobre para todos.”
4. “… o dom espiritual da Índia para o mundo.”
5. “… um passo na evolução que elevará … [os humanos] a uma consciência mais alta e maior e que começará a solução de problemas que [os] tem desorientado e irritado desde que [… eles] primeiro começaram a pensar e a sonhar com a perfeição individual e com uma sociedade perfeita.”


Visão de mundo otimista e dinâmica

A grande originalidade de Sri Aurobindo é ter fundido o moderno conceito científico de evolução com a perene experiência gnóstica de uma consciência divina onipresente que sustenta toda a existência fenomenal. A sua síntese não foi um construto filosófico, mas uma realização recorrente de uma experiência espiritual direta. O desdobramento de formas cada vez mais complexas e de níveis superiores de consciência fora de uma inconsciência original totalmente material é vista como o retorno gradual à autoconsciência e à diversa autoexpressão de um Espírito envolvido. Este processo evidentemente não está completo, e a evolução de níveis superiores de consciência e de menos formas inconscientes de expressão são esperadas. Porém, com o desenvolvimento da Mente, os seres humanos individualmente podem, se eles escolherem, usar os seus desejos e as suas inteligências para começar a participar conscientemente no processo de autodescoberta e de autoexploração. Este conhecimento funda uma visão de mundo otimista e dinâmica, que dá a cada indivíduo um lugar significativo em um desdobramento cósmico progressivo, e lança o nosso entendimento do esforço humano, seja individual ou coletivo, em uma perspectiva nova e com um propósito. Muitas facetas dessa visão de mundo estão elaboradas em 35 volumes das Obras Reunidas de Sri Aurobindo (link em inglês).


(Portuguese translation by Pablo Antunes)